Imprensa Oficial Versão Chinesa
Versão Inglesa
RAEM

   Skip Navigation Links Home > Boletins Oficiais > Brasil > Diário Oficial do Estado de Minas Gerais

Diário Oficial do Estado de Minas Gerais

◄◄ | - 100 | - 10 | | | + 10 | + 100 | ►►
Pág. 168 de 413


Nome:

Diário Oficial do Estado de Minas Gerais

341
Origem: Brasil
Publicado por: Imprensa Oficial de Minas Gerais
URL: http://www.iof.mg.gov.br/
Notas:

Imprensa Oficial é uma Autarquia responsável pela publicação do Diário Oficial “Minas Gerais”, e pela produção de impressos e documentos técnicos e publicações em geral para os órgãos e entidades do Governo de Minas e para terceiros. Em cumprimento a diretrizes estatutárias também promove edições de natureza cultural.

Seu principal produto, “Minas Gerais”, é um jornal de caráter oficial para divulgação de atos do governo, decretos e regulamentos que devam ter execução no Estado, compreendendo os seguintes cadernos: O Noticiário; Diário do Executivo ; Diário do Legislativo; Diário do Judiciário e ainda Publicações de Terceiros.

Cem Anos de História

FUNDAÇÃO - A fundação da Imprensa Oficial acontece em Ouro Preto, então capital do Estado, na atmosfera política e cultural que reinava no século XIX. Naquela época publicava-se pelas tipografias lusas ou cariocas, devidamente licenciadas.

A idéia de lançar o Diário Oficial em Minas Gerais é bem antiga, localizando-se na raiz do 2o Império, e arrastando-se desde o reinado de D. Pedro I. Uma oficina tipográfica e editora autorizada pela realeza já era reclamada em 1824 como porta voz legítima dos atos dos administradores da Província - dois anos após os acontecimentos políticos ligados à Proclamação da Independência. Em 8 de abril de 1822 o major Luiz Maria da Silva Pinto propõe um plano para a instalação da primeira tipografia oficial do Estado, além da publicação de uma Folha como porta-voz dos atos governamentais.

Compra-se então, no Rio de Janeiro, uma pequena gráfica que, instalada em Vila Rica, é enriquecida por José Vicente Ferreira com matrizes e tipos fundidos no local. O próprio major foi o principal impressor de Ouro Preto durante vários anos, tornando-se o administrador do real estabelecimento.

A gráfica real estréia tipos e prelos com a produção dos impressos avulsos do poder oficial da Capitania e das diversas repartições públicas, além de papéis de encomenda particular.

Em 6 de novembro de 1891, por meio da Lei No 8, nas dependências provisórias do antigo Palácio dos Governadores (hoje sede da Escola de Minas e Metalurgia em Ouro Preto), implanta-se a Imprensa Oficial de Minas Gerais, sendo Presidente do Estado Francisco Faria Alvim.

O primeiro “Minas Gerais” foi marcado pela insuficiência de recursos, caracterizada pelas instalações precárias e falta de infra-estrutura técnica da época. Diante das dificuldades encontradas, principalmente frente à grave contenção econômica e falta de pessoal, o Governo viu-se obrigado a contratar técnicos, artistas e mestres-salas junto à Imprensa Nacional do Rio de Janeiro. Assim, finalmente a 21 de abril de 1892, a publicação do “Minas Gerais” e dos impressos oficiais se regularizaram, coincidindo também com a data do centenário do martírio de Tiradentes.

Entre 1892 e 1897 havia poucos artífices e aprendizes de tipografia, que sonhavam com a chegada das máquinas impressoras com linotipos. Era a época de instabilidade política e econômica do primeiro período republicano, em que se iniciaram os debates sobre a mudança da Capital do Estado para o sítio de Curral del Rei. Em 1896, quatro anos depois do lançamento do “Minas Gerais” – e quatro antes do alvorecer do novo século – o governo decide-se pela transferência da Imprensa Oficial para a Cidade de Minas, atual Belo Horizonte.

A evolução das artes gráficas e das comunicações encontra na nova capital recursos adequados tais como rede elétrica e telefonia, além da indispensável ligação entre a Europa e o Rio de Janeiro por meio de cabos telegráficos submarinos, fundamental para a captação do noticiário internacional; em contrapartida, encontra dificuldades devido à crise dos altos custos do papel importado.

A Folha governamental foi instalada em sede própria, na antiga Avenida Paraopeba, hoje Avenida Augusto de Lima.

Linotipo

Em 1914, o órgão oficial abre espaço para a introdução da Linotipia (sistema de matrizes que, após agrupadas, servem para fundir uma linha de chumbo contendo todos os caracteres que foram previamente registrados no teclado), graças à insistência de Leon Rossouliére, autor de uma série de inovações técnicas e administrativas, sob o título “Projeto da Nova Imprensa”. Em conseqüência da Grande Guerra (1914 - 1918) e ainda pela crise de papel, o jornal passa por inesperados reveses, somados à demora na instalação das novas máquinas de linotipos.

A introdução dessas máquinas na Imprensa Oficial significou a troca da tipografia manual pela mecânica, propiciando rendimento muito maior com muito mais qualidade.

Suplemento literário

Em 1966 estréia o “Suplemento Literário”, sistema de publicação que antigamente havia sido utilizado com alteração do feitio do jornal, ou seja, em caderno separado que refletia a produção cultural estadual. Passaram pela casa, ali encontrando abrigo seguro e deixando sua marca impressa, redatores, ensaístas, pensadores, romancistas, prosadores e poetas de criatividade incomum como Drumond, Juscelino Kubitschek, Eduardo Frieiro, Emílio Moura, Cyro dos Anjos, Moacir de Andrade, José Guimarães Alves, Murilo Rubião, Mário Matos, Vivaldi Moreira e muitos outros. Em maio de 1969, com a edição da Lei No 5.189, iniciam-se as publicações de mais dois periódicos - Suplemento Rural e Revista Minas Gerais, que durante muito tempo brindaram os leitores com excelentes matérias, além de belíssimas fotografias que mostraram os encantos mineiros.

Offset

Mais tarde, no ano de 1974, iniciam-se avaliações técnicas para implantação de novo sistema em seu parque gráfico, baseadas em tecnologia européia, especificamente alemã, e culminando com a doação do projeto de impressão em offset. O primeiro caderno impresso em offset foi o “Suplemento Literário” de 6 de setembro de 1980, seguido do caderno de “Publicações de Terceiros”, parte III do “Minas Gerais”, em 21 de fevereiro de 1981.

Mudança

Da linotipia ao processo de impressão offset e, recentemente, com outros investimentos fundamentais tais como a sistematização e informatização dos processos de trabalho, a reciclagem e o aprimoramento profissional, o “Minas Gerais” escreve uma história que deixa a marca de um ritmo crescente e plural. Sendo o único jornal, ou quase único, que circula em todos os municípios mineiros, as páginas do “Minas Gerais” levam até seus usuários a mais clara transparência dos atos administrativos dos Poderes Públicos e os traços mais preciosos da cultura mineira – ao lado da ampla informação parlamentar, legislativa e judiciária.

Habilitação Ocupacional / Portadores de Deficiências

Desde 1967 a Imprensa Oficial abriga em seu quadro servidores portadores de necessidades especiais. Em 1973 oficializou o trabalho destes servidores em suas oficinas, principalmente no acabamento de serviços gráficos. Atualmente, conta com 21 deles, alguns deles verdadeiras revelações de competência e desempenho, notáveis nas atividades exercidas, logrando mesmo, com a utilização de computadores, acompanhar o processo de modernização.

A Imprensa Oficial Hoje

Em janeiro de 1993 a Imprensa Oficial ganhou autonomia administrativa e financeira, ao tornar-se uma Autarquia. Em março do mesmo ano iniciou-se a reforma física do prédio. Hoje, suas instalações oferecem ambientes adequados às finalidades a que se destinam – fato que aumentou notavelmente sua produção industrial.

Orquestra Sinfônica e Coral da Imprensa Oficial

A Imprensa Oficial dispõe de uma Orquestra Sinfônica e de um Coral, compostos por servidores da entidade. Estas atividades musicais, que se prestam à interação de seu quadro de pessoal, integram o leque de manifestações de comunicação social da Imprensa – que, a partir do governo Itamar Franco, além de prestadora de serviço ao Estado, também se consolida como agência de comunicação social.

Tecnologia de ponta

Atualmente, a Imprensa Oficial continua se aprimorando para oferecer produtos e serviços de qualidade. Para tanto, já adquiriu sofisticados hardwares; desenvolveu projetos para recebimento de matérias on line, editoração eletrônica e composição automatizada; informatizou seus sistemas administrativos; e está colocando o “Minas Gerais” disponível na Internet, além de se preparar para oferecê-lo em CD-ROM.

Mais ainda: adquiriu novos equipamentos que possibilitarão melhores produtos gráficos bem como um jornal com maior qualidade de impressão.

Servidores

A Imprensa Oficial tem direcionado seus esforços para o desenvolvimento de políticas de Recursos Humanos. O treinamento se tornou uma atividade prioritária e ininterrupta, tanto na área de informática, quanto nas diversas atividades desenvolvidas no âmbito da Imprensa Oficial e na área de relacionamento interpessoal. Novos projetos já começaram a surgir no sentido de entrosar ainda mais o servidor aos procedimentos de trabalho e tecnologias existentes.

Novas tecnologias

Hoje as matérias do jornal “Minas Gerais” chegam à Imprensa Oficial por meio de computadores, facilitando enormemente o trabalho de impressão e garantindo maior qualidade e fidedignidade aos leitores. A Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais foi pioneira neste mister em todo o Brasil, assim como o foi em diversas atividades, como dispor, na internet, o Diário Oficial de Minas Gerais na íntegra, evidenciando assim como a área de informática foi incorporada de forma precursora na instituição.

Na atualidade, cada vez mais a informação é um mecanismo gerencial, um método de gestão da coisa pública. Portanto, melhorar a capacidade de difusão informativa da Imprensa Oficial é a contribuição que se pode e deve dar para obter a desejável harmonia social, sonhada por todos.

Melhorar a qualidade desta informação, aprofundá-la, contextualizá-la, facilitar seu entendimento pelo leitor, situando os fatos histórica e contemporaneamente, esta é nossa tarefa primordial.

Perspectivas - E nossa missão não para aí

É grande ainda o comprometimento que temos com a cultura, o teatro, o cinema, o coral, a orquestra, a galeria de exposições artísticas, a impressão de livros, todas estas atividades já merecem desta administração a mais dedicada atenção.

A modernização para facilitar o acesso às pesquisas em exemplares antigos que reproduzem atos e leis editados ao longo de 111 anos desta instituição está se tornando finalmente uma realidade. O acervo todo será digitalizado com vistas, sobretudo, à preservação desses originais, que constituem verdadeiro patrimônio histórico de Minas Gerais, sendo elevados à categoria de museu.

E sob este prisma recorro a Guimarães Rosa – para informar que tudo será feito à moda mineira, com o jeito de ser das gerais, a seu tempo e a sua hora.

Fonte: Associação Brasileira de Imprensas Oficiais

   

Imprensa Oficial
Rua da Imprensa Nacional, s/n - Macau
Telefone: (853) 2857 3822 - Telefax: (853) 2859 6802
Email: info@io.gov.mo
Instruções de utilização


© 2014 - Imprensa Oficial - Última actualização: 2014/11/24

ts= 11/24/2014 10:50:39 PM